Música

#87 – Música

Eu amo música de Natal. Pra mim, quando chega outubro, eu já começo a escutar. Quando chega dezembro, então, nem se fala.

O post de hoje é dedicado a alguns discos de Natal que tenho escutado nos últimos anos e que resolvi recomendar pra você.

PTXmas do Pentatonix. Quem me conhece sabe o quanto eu admiro esse grupo. Eles são super criativos e cantam MUITO. Eles lançaram a edição de luxo do EP de Natal deles e vale a pena. Compre aqui.

Esse aqui todos tem que ter. É a Bíblia musicada de A a Z. Não é um disco de se ouvir só no Natal, mas com certeza é um que não sai do meu celular. Compre aqui.

Ando meio que amando esse aqui. Pra quem gosta de música de Natal com uma pegada mais ‘pop pianística’, esse aqui é ótimo. Ele fez algumas regravações, mas as originais dão um show a parte. Muito bom, mesmo. Compre aqui.

Depois que você conseguir superar essa capa HORRENDA, foque na música. Muito bem orquestrado, repertório muito bem escolhido, e ela cantou muito bem. Você consegue comprar aqui.

A mais recente descoberta. Gosto muito dos discos do Brandon Heath e esse também é muito legal e vem com algumas doses de bom humor. Esse você compra aqui.

O último da lista é um EP de 5 músicas. Só releituras, e muito bem executadas. A voz do Michael Tait é algo fora desse mundo. Muita energia nesse disco.

São essas as minhas dicas pra esse fim de ano. Se você ouviu algum e curtiu, comente aí embaixo. E se você tem algo pra indicar, comente também. Vou curtir muito ler a sua opinião.

Boa noite.

Anúncios

#72 – Igreja Batista Boas Novas

Estive, no último sábado, com o Novo Tom em São Paulo, na Igreja Batista Boas Novas para o evento Alternativa Acústica, juntamente com a Kelanie, o Pedra Coral e o Daniel Lüdtke. Saímos do UNASP no sábado à tarde, e chegando em São Paulo, o motorista do ônibus não se atentou a qual pista ele deveria entrar, e seguiu reto pela Dutra…ou seja, de repente, estávamos indo rumo ao Rio de Janeiro. Ele se antecipou um pouco. Rio de Janeiro é só no próximo sábado. Nos perdermos em São Paulo é uma ocasião até frequente quando se trata de irmos de ônibus para a Terra da Garoa. Enfim, chegamos no nosso destino e cantamos para o povo querido que lá estava. Eu amo quando a congregação canta, e na música “Falar Com Deus”, eles não fizeram feio. Foi emocionante. Enfim, como de costume, tem vlog do dia no meu canal, e em breve, no do Novo Tom também!

#26 – Música de Natal

Eu AMO música de Natal. É uma das coisas que eu mais amo na época do Natal. Eu sou daqueles que já começa a escutar músicas de Natal no início de dezembro. Às vezes, chego ao ponto de me pegar ouvindo uma música ou outra de Natal no meio do ano. Eu gosto muito, mesmo. Esse post é dedicado a alguns dos meus discos prediletos de Natal. A maioria deles tem valor sentimental, pela nostalgia que eles proporcionam. Não sou saudosista, mas me fazem lembrar de ótimos momentos natalinos.

Acho que com esse disco, eu comecei a prestar atenção em músicas de Natal, apesar de ser uma releitura do oratório de Handel. Pra mim, esse disco e o VHS ao vivo que acompanha sempre me lembrarão dos encontros em família. A gente SEMPRE assistia ao vídeo desse projeto. Até hoje, eu me arrepio quando ouço “Surely He Hath Borne Our Griefs” (Steve Green, Larnelle Harris e Michael English), “For Unto Us A Child Is Born” (Bebe & Cece) ou “The Trumpet Shall Sound” (4HIM). O som é bem início da década de 90, mas vale muito a pena. Você pode adquirir o CD aqui e o VHS aqui.

Esse disco acompanha o The New Young Messiah. É basicamente uma compilação de músicas conhecidas de Natal interpretadas pelos artistas cristãos que estavam no “auge” de suas carreiras no meio da década de 90. Destaco “Season Of Love” (4HIM), “The First Noel” (Bebe & Cece) e “Hark! The Herald Angels Sing” (Point Of Grace).

Esse disco me faz lembrar minha mãe. Eu gosto de todos os discos de Natal da Amy Grant, mas esse foi o que marcou mais. A voz dela é tão linda, tão sutil e tão familiar. Isso acrescenta muito às interpretações dela, inclusive na primeira faixa, “Have Yourself A Merry Little Christmas,” “Grown-Up Christmas List,” (uma das minhas prediletas) e a original “Breath Of Heaven.” Uma curiosidade: os vocais desse disco foram gravados pela turma do saudoso First Call!

Esse disco é um dos mais clássicos de Natal! A beleza da voz da Karen Carpenter é indiscutível, e eu amo a interpretação dela na “The Christmas Song,” sem falar nos arranjos e produção do Richard Carpenter no disco todo. Vale a pena investir nesse disco. Vai por mim.

Esse é curtinho. Só 5 musiquinhas, mas é muito bom, especialmente “Grown-Up Christmas List.”

Já gosto desse disco por causa da capa. Eu curto muito o estilo do MercyMe, especialmente a voz do Bart Millard. As originais “Gloria” e “Joseph’s Lullaby” são excelentes, e eu amo a regravação de “Christmas Time Is Here” do “A Charlie Brown Christmas”.

Uma das descobertas mais recentes. Eu gosto de tudo que o Anthony Evans faz, e o disco de Natal dele é muito bom, especialmente “This Christmas,” “Immanuel” e o medley “O Come All Ye Faithful/The First Noel.” Que voz é essa?

E claro que pra mim, Natal não seria Natal sem os discos de Natal do Point Of Grace. Quem me conhece sabe que eu sou fã delas, e amo todos os discos de Natal. Do A Christmas Story, “Emmanuel, God With Us,” “Light Of The World” e “Santa Claus Is Comin’ To Town.” Do Winter Wonderland, “Let There Be Light,” “In The First Light” e “All Is Well.” Do Home For The Holidays, “Labor Of Love,” “Candy Cane Lane” e “Not So Silent Night.”

E você? Qual é o seu disco predileto de Natal?