Pessoal

#78 – Enfim de Férias

Estou de férias. Nem acredito. O semestre foi repleto de atividades, e mesmo amando meu trabalho, é bom tirar um tempo pra não fazer nada.

Estou na casa da minha mãe e padrasto aqui no norte da Virgínia, perto de Washington, DC. A viagem pra cá foi relativamente tranquila, a contrário de tudo que antecedeu a viagem. No dia em que viajei, o Academia da Voz se congregou no estúdio Mosh para gravar a segunda etapa do vocal do projeto Herói da Fé. Pra quem não sabe do que se trata, tem um post do Lineu no site do Novo Tom que esclarece tudo e pode ser conferido aqui. Voltando ao assunto, a gravação se deu na quarta-feira. Isso quis dizer que tive que deixar tudo (mala, casa, etc) arrumado na terça à noite. Madruguei na quarta para finalizar tudo e subi pro colégio. Tinha marcado com a empresa de ônibus para que o motorista chegasse às 7 da manhã para sairmos às 7:30. Devido a uma falha de comunicação dentro da empresa, fomos sair às 8:30 da manhã. Isso já não estava contribuindo para o meu bom humor, mas Deus é bom e a gravação rendeu tão bem que encerramos uma hora mais cedo do que estava previsto.

Abaixo, uma foto da gravação:
mosh

Gravações encerradas, fomos comemorar da melhor forma: comendo. Fomos a uma pizzaria pertinho do estúdio, e de lá, me despedi de todos e segui rumo ao aeroporto de Guarulhos.

Nove horas depois de embarcar, cheguei em Washington e minha mãe já estava me esperando. Na quinta e na sexta ficamos por conta de compras pra casa e pro almoço de sábado.

No sábado, fui pra BR1 onde cantei “O Pior do Homem” com a Laura e “Por Que Deixá-Lo a Esperar” com Coral Jovem de Washington.
br1

Voltamos da igreja e preparamos o almoço, que ficou por conta minha, da minha mãe e da Laura.

O cardápio:
Salada verde com cranberries, blueberries e nozes carameladas
Salada de pimentão com alcachofra
Risotto de alho poró
Salmão grelhado com alcaparras
Frango ao molho cremoso de mostarda

Foi tanto empenho na parte salgada da refeição que tivemos que nos contentar com isso:
javachip

Não achei ruim, não vou mentir.

Contamos com a presença das amigas Raquel e Ive Fonseca aqui em casa no final de semana. A Ive eu conheço desde a época do IASP, e a família Fonseca sempre foi muito especial. Saímos pra almoçar no Cheesecake Factory no domingo.
cheesecake

Enfim, foi um fim de semana muito agradável e um ótimo começo para as minhas férias.

Espero que os meus 7 leitores tenham uma semana excelente e abençoada.

PS.: Como já estou COMPLETAMENTE no clima Natalino, nada mais justo que o blog também refletisse essa alegria, né? Rsrsrs

Anúncios

#74 – Virada Cultural

ALERTA! Esse post contém MUITAS fotos de comida.

Esse post era pra ter ido ontem, mas o excesso de sono e a falta de colaboração do WordPress impediram esse feito.

Na quinta à noite, eu e mais alguns amigos fomos à casa da Regina e do Rolf para participarmos da segunda edição da nossa Virada Cultural. Vejam, não é uma Virada Cultural que nem a que eles produzem em São Paulo, que é toda cheia de shows, exposições, peças e etc. O nome foi adotado em uma bela noite de véspera de feriado, quando o Pedro se ofereceu para jantar na casa da Regina. Logo, o Gabro, o Weslley a Dani e eu fomos inseridos no grupo e lá fomos nós improvisar um macarrão. Começou como um jantar, mas a conversa acabou indo noite à dentro, e só foi acabar na manhã seguinte.

Dormindo enquanto os outros cozinham

(fotos do Instagram do Gabro)

Enfim, a noite foi tão legal que ficou a vontade de fazermos outra virada dessas, mas com tantas atividades, viagens e finais de semana cheios de compromissos, a tarefa de achar uma noite em que todos estivessem disponíveis foi árdua, mas quando vimos que estaríamos todos livres no feriado de outubro, já marcamos a data. Dessa vez, o Rolf também estaria, e como ele é o chef de cuisine residente da mansão Mota-Maier, ele elaborou um cardápio e mandou por email a todos os participantes. Mais a respeito mais pra baixo.

Aos participantes da primeira Virada, se juntaram a nós o Rolf (que estava viajando na primeira), a Tatati, o Elio, o , o Vitinho e a Carol. O mané do Gabro inventou de passar a semana em São Paulo e não pôde estar presente. Perdeu.

A comida SEMPRE é prioridade, então fomos logo ajudar a preparar o jantar.

Tatati de olho no molho de tomate.

Fazendo os cookies.

Eu e Tatati praticando a intemperança.

Massa secando. Sim, a massa foi caseira. Sem mais.

Massa sendo cortada.

Fettuccine ao molho pesto.

Fettuccine ao molho de tomates frescos com manjericão.

Depois do jantar, rolou uma partida de Desafino. É mais ou menos tipo Imagem e Ação só que com músicas populares. A diferença é que, além da mímica, você também pode cantarolar a música sem a letra para o seu time adivinhar. Devo confessar que me descontrolei um pouco, porque sou muito competitivo. A disputa foi acirrada.

Abaixo, os vencedores. Você não vai me ver na foto.

Abaixo, os não-vencedores (‘perdedores’ é uma palavra muito cruel).

Lá pelas 4 da manhã, depois da partida de Desafino, nós resolvemos cantar. A cantoria até foi filmada, mas como preso pela integridade musical não só minha, mas como de meus amigos, é melhor que este vídeo fique trancado à sete chaves.

O plano depois disso foi assistir ao seguinte clássico:

Foi só o Rolf ligar o DVD que todos prontamente caíram no sono.

A partir de umas 9, o pessoal aos poucos foi acordando.

Notem que o Pedro ainda está dormindo nessa foto. Comportamento completamente normal.

Depois que todos haviam despertado, o Rolf começou a preparar o nosso brunch.

Tivemos hash browns…

…tivemos waffles…

…e tivemos brownies. Oh, céus.

E foi isso…não há forma melhor de começar o feriado do que varando a noite comendo, dando risada, ficando frustrado por perder o jogo de Desafino, comendo mais um pouco e jogando buraco.

Que venha a próxima edição!

#70 – Rio de Janeiro

As férias acabaram, já estou de volta ao trabalho e quando assisto a esses vídeos, só fico com vontade de voltar. Eu amo o Rio. Eu amei essa viagem. Amei o Shopping Leblon, a praia do Arpoador, o Manekineko, o Cristo, Grumarí, a Toca da Traíra, o Brazeiro da Gávea, Ipanema, o Bibi. Amei o Forte de Copacabana e a Confeitaria Colombo. Até a BikeRio eu amei (tudo bem que, depois de pedalar de Copacabana até a Lagoa, este sedentário blogueiro estava esbravejando e prestes a jogar a bicicleta na Lagoa).

Vale ressaltar também que finalmente conheci as amigas Lu e Rossana (esposa da celebridade master e dono da gloriosa “Rádia” Crente Que É Gente, Wanderly Dornelles), a quem só conhecia pelo Twitter.

Enfim, abaixo estão os três vlogs desta gloriosa viagem:

#69 – Marcio e Simone

Mais um casamento. Mais um encontro de família. Mais risadas. Mais comida. Mais nordeste. Mais música.

Todos reunidos para o casamento do Marcio com a Simone. Foi muito bom ter a família toda reunida mais uma vez. O casamento foi emocionante. Tudo muito lindo.

Documentei alguns momentos e fiz mais um vlog.

Espero que gostem!

#68 – Macarrão ao Molho Alfredo

No domingo passado, me juntei aos “FATS” (Gabro, Tatati e Elio) na casa da Regina para fazermos um gostoso macarrão ao molho alfredo.

A receita:

1 embalagem de macarrão da sua escolha (prefiro fetuccinne ou ninho)
1 kg de filé de frango em cubos
sal e pimenta a gosto
1 kg de queijo parmesão ralado
400 ml de creme de leite
100 gramas de manteiga

Modo de preparo:

Cozinhe o macarrão de acordo com as instruções na embalagem. Escorra quando estiver al dente. Enquanto o macarrão estiver cozinhando, frite os cubos de frango com azeite e sal e pimenta a gosto. Em uma panela média, misture o creme de leite e a manteiga ao fogo médio. Acrescente sal e pimenta a gosto. Em um pirex, espalhe metade do queijo ralado. Coloque o macarrão por cima do queijo e cubra com o molho. Acresecente o frango e o resto do queijo e misture até o queijo derreter. Depois disso é só comer!

#67 – São Carlos

No último sábado, dia 16/06, viajei com o Coral UNASP para São Carlos. Passamos o dia cantando na Igreja Central de lá. Foi muito legal. O povo do Coral é super animado, e o Vavau e toda a equipe de São Carlos nos receberam muito bem! Levei minha câmera e resolvi fazer um vídeo com os bastidores da viagem. É só bobeira, mas acho que dá pra rir um pouco!

#66 – Vlog

Quando eu entro no meu blog, dá até dó, de tão abandonado que ele está. Em uma tentativa de tentar ressuscitar o blog, apelei para o vlog, que nada mais é do que um blog em vídeo. Aparentemente, vlogs são o que há no momento. Arrisquei meu primeiro hoje, documentando uma comemoração de aniversário na quarta à noite, e este estará logo abaixo. Caso haja alguém que ainda passeia por aqui na falta do que fazer, comentários e sugestões são sempre muito bem vindos, ok?

Enjoy!

#63 – Pão com Ovo

Fiz esta iguaria para o meu café da manhã hoje cedo. E antes de mais nada, caso você, que não tem mais nada pra fazer e está lendo este blog, me pergunte o motivo pelo qual eu estou acordado às 8:30 da manhã em pleno domingo, é porque eu estou de saída pro estúdio. Hoje retomo as gravações do meu disco. Mas isso é conteúdo pra outro post, que deve sair daqui a 3 anos, dada a frequencia e dedicação minha a esse blog.

Mas enfim, voltando ao assunto em pauta. Postei a foto da minha refeição super saudável, e já vieram me perguntar como faz.

É tão fácil, mas tão fácil, que vocês vão rir. É sério.

Ingredientes:
1 fatia de pão da sua escolha.
1 ovo
1 colher (generosa) de manteiga ou margarina com sal (eu prefiro manteiga)
sal e pimenta a gosto

Aqueça a frigideira ao fogo médio. Quando ela estiver no ponto, acrescente a manteiga e deixe com que essa belezura derreta e borbulhe. Faça um buraco no meio do pão. Eu tentei fazer com um copo de vidro, mas ficou muito grande, aí usei uma taça de champagne. Hahahahaha. Coloque o pão na frigideira e na sequencia, coloque o ovo no buraco no meio do pão. Com uma espátula ou utensílio de sua escolha, dê uma mexida até dourar o verso do pão. Acrescente o sal e a pimenta. Vire e frite o lado com o ovo. Eu não frito por muito tempo porque eu gosto da gema mole. Mas aí é cada um com seu cada qual. Acrescente sal e pimenta no verso também. Desligue o fogo. Coloque o pão num prato. Com um garfo e uma faca, corte um pedaço. Leve o garfo até sua boca. Coma. Saboreie. E seja grato por ter a oportunidade de saborear uma receita tão deliciosa.

Bom domingo a todos!

#62 – Natal…

Quem acompanha meu blog desde seu início, e quem leu, há um ano, a enxurrada de posts de cunho natalino, sabe que eu amo o Natal.

Sempre dei muito valor ao Natal. Sempre vivi muito intensamente as músicas e os preparativos e a ansiedade de rever primos e tios e avós e de estarmos juntos, em família.

E desde que me entendo por gente, sempre estivemos em família. Se eu for parar pra pensar, esse ano não foi diferente.

Só que eu não consegui entrar direito no clima. Já sabia que não iria pra casa da minha mãe. Já sabia que não a teria por perto esse ano. Já sabia que seria diferente. E não consegui entrar no clima. E foi duro. Foi duro falar com minha mãe no Skype e ver a casa toda arrumada, com a árvore montada. Foi duro receber um telefonema da tia Sonete, que também mora fora do Brasil e que também estava com a casa cheia.

E hoje, pensando nisso tudo, me dei conta de que não estava acostumado a ter um Natal que não fosse uma “super produção”. Pra minha família, com tantos artistas, com tantas idéias maravilhosas, isso não é difícil. Mas esse ano foi simples. Discreto. Só meus tios, meus avós, meu irmão e eu. Sem muita festa. Sem amigo secreto. Sem muitos presentes…e foi ótimo. Não foi do jeito que eu imaginava, ou do jeito que eu queria, mas foi ótimo.

E eu fiquei pensando…o nascimento de Jesus não foi uma super produção. Nascer em um berço de palha dentro de um estábulo que, com certeza não estava limpo, não é minha idéia de super produção. Mas Ele veio mesmo assim, sem muitos presentes. O presente que Ele trouxe foi Ele mesmo. E nEle a gente encontra paz, graça, contentamento, amor e esperança.

Ele é maravilhoso. Ele sempre dá um jeito de compensar aquilo que está faltando, seja com parentes que moram perto, seja com amigos que abrem suas casas para me receber, seja com oportunidades de viajar e conhecer novos lugares. O Natal esse ano não foi do jeito que eu queria que fosse, mas ficou claro pra mim que Deus está sempre me amparando.

E eu não mereço, mas agradeço.

“Eu disse a Deus, o Senhor: ‘Tu és o meu Senhor; tudo o que tenho de bom vem de Ti.'” (Sl 16.2)

#61 – Gordices Natalinas…

Quem já leu o post de número 59 sabe que quando junto o Elio, a Tatati e o Gabro na minha casa, certamente há fartura.

Eu tinha sugerido um último encontro dos “fats” em casa antes de todos irem embora de férias, e um belo dia, os três apareceram no meu trabalho com a seguinte sugestão: “Vamos fazer uma ceia de Natal?” Não preciso nem dizer que eu topei, não é mesmo?

Pois bem. Marcamos a ceia para terça-feira, dia 13. Na segunda-feira, os três foram ao meu trabalho, elaboramos um cardápio e lá foram eles ao supermercado em Artur Nogueira para comprar todos os ingredientes. Eu lhes dei a chave do meu apartamento para que eles deixassem tudo lá na volta com a seguinte advertência: “Por favor, não reparem a bagunça.”

O expediente se encerrou, e como ninguém apareceu para me devolver a chave, eu liguei pra Tatati, avisando que já estava descendo. “OK,” disse ela. “Estamos saindo, mas te esperamos!” Quando cheguei, a porta estava encostada, e as luzes estavam todas apagadas, exceto das luzes de Natal que, do nada, apareceram na sala, juntamente com uma minúscula árvore de Natal. E do nada, os três apareceram de um dos quartos gritando “FELIZ NATAL!”

Eu, que estava meio pra baixo com o fato de não ir pra casa da minha mãe passar o Natal, fiquei super feliz com o gesto dos três, que alegraram muito o meu dia!

No dia seguinte, fizemos todos os preparativos gastronômicos com as seguintes trilhas:



A nossa ceia foi uma colaboração de nós quatro. O cardápio:

Arroz (feito pela Tatati)
Farofa (feita pelo Elio)
Chester (feito pelo Gabro)
Cheesecake de morango (feito por mim)
Bolo de cookie (feito por mim. Aguardem a receita)

Também teve Coca e champagne.

A gente ia fazer salada, mas acabou que ninguém comprou as coisas da salada, então ficamos sem, mesmo.

Alguns fatos interessantes / engraçados:

O Elio AMA cookies, mas acho que ele ama mais a massa crua. E aparentemente, quando acaba a raspa, ele fica chateado.

Eu já postei aqui que eu tradicionalmente como a coxa do perú ou chester há mais de 20 anos. Desta vez, não foi diferente.

É muita classe.

E pra finalizar, uma foto dos quatro depois de toda a comilança:

Que fique bem claro que nós quatro estávamos forçando a pança.

Não acredito que postei essa foto.

Que se dane. É Natal. O regime começa em janeiro.

Boas festas a todos!