Foodie

#78 – Enfim de Férias

Estou de férias. Nem acredito. O semestre foi repleto de atividades, e mesmo amando meu trabalho, é bom tirar um tempo pra não fazer nada.

Estou na casa da minha mãe e padrasto aqui no norte da Virgínia, perto de Washington, DC. A viagem pra cá foi relativamente tranquila, a contrário de tudo que antecedeu a viagem. No dia em que viajei, o Academia da Voz se congregou no estúdio Mosh para gravar a segunda etapa do vocal do projeto Herói da Fé. Pra quem não sabe do que se trata, tem um post do Lineu no site do Novo Tom que esclarece tudo e pode ser conferido aqui. Voltando ao assunto, a gravação se deu na quarta-feira. Isso quis dizer que tive que deixar tudo (mala, casa, etc) arrumado na terça à noite. Madruguei na quarta para finalizar tudo e subi pro colégio. Tinha marcado com a empresa de ônibus para que o motorista chegasse às 7 da manhã para sairmos às 7:30. Devido a uma falha de comunicação dentro da empresa, fomos sair às 8:30 da manhã. Isso já não estava contribuindo para o meu bom humor, mas Deus é bom e a gravação rendeu tão bem que encerramos uma hora mais cedo do que estava previsto.

Abaixo, uma foto da gravação:
mosh

Gravações encerradas, fomos comemorar da melhor forma: comendo. Fomos a uma pizzaria pertinho do estúdio, e de lá, me despedi de todos e segui rumo ao aeroporto de Guarulhos.

Nove horas depois de embarcar, cheguei em Washington e minha mãe já estava me esperando. Na quinta e na sexta ficamos por conta de compras pra casa e pro almoço de sábado.

No sábado, fui pra BR1 onde cantei “O Pior do Homem” com a Laura e “Por Que Deixá-Lo a Esperar” com Coral Jovem de Washington.
br1

Voltamos da igreja e preparamos o almoço, que ficou por conta minha, da minha mãe e da Laura.

O cardápio:
Salada verde com cranberries, blueberries e nozes carameladas
Salada de pimentão com alcachofra
Risotto de alho poró
Salmão grelhado com alcaparras
Frango ao molho cremoso de mostarda

Foi tanto empenho na parte salgada da refeição que tivemos que nos contentar com isso:
javachip

Não achei ruim, não vou mentir.

Contamos com a presença das amigas Raquel e Ive Fonseca aqui em casa no final de semana. A Ive eu conheço desde a época do IASP, e a família Fonseca sempre foi muito especial. Saímos pra almoçar no Cheesecake Factory no domingo.
cheesecake

Enfim, foi um fim de semana muito agradável e um ótimo começo para as minhas férias.

Espero que os meus 7 leitores tenham uma semana excelente e abençoada.

PS.: Como já estou COMPLETAMENTE no clima Natalino, nada mais justo que o blog também refletisse essa alegria, né? Rsrsrs

Anúncios

#74 – Virada Cultural

ALERTA! Esse post contém MUITAS fotos de comida.

Esse post era pra ter ido ontem, mas o excesso de sono e a falta de colaboração do WordPress impediram esse feito.

Na quinta à noite, eu e mais alguns amigos fomos à casa da Regina e do Rolf para participarmos da segunda edição da nossa Virada Cultural. Vejam, não é uma Virada Cultural que nem a que eles produzem em São Paulo, que é toda cheia de shows, exposições, peças e etc. O nome foi adotado em uma bela noite de véspera de feriado, quando o Pedro se ofereceu para jantar na casa da Regina. Logo, o Gabro, o Weslley a Dani e eu fomos inseridos no grupo e lá fomos nós improvisar um macarrão. Começou como um jantar, mas a conversa acabou indo noite à dentro, e só foi acabar na manhã seguinte.

Dormindo enquanto os outros cozinham

(fotos do Instagram do Gabro)

Enfim, a noite foi tão legal que ficou a vontade de fazermos outra virada dessas, mas com tantas atividades, viagens e finais de semana cheios de compromissos, a tarefa de achar uma noite em que todos estivessem disponíveis foi árdua, mas quando vimos que estaríamos todos livres no feriado de outubro, já marcamos a data. Dessa vez, o Rolf também estaria, e como ele é o chef de cuisine residente da mansão Mota-Maier, ele elaborou um cardápio e mandou por email a todos os participantes. Mais a respeito mais pra baixo.

Aos participantes da primeira Virada, se juntaram a nós o Rolf (que estava viajando na primeira), a Tatati, o Elio, o , o Vitinho e a Carol. O mané do Gabro inventou de passar a semana em São Paulo e não pôde estar presente. Perdeu.

A comida SEMPRE é prioridade, então fomos logo ajudar a preparar o jantar.

Tatati de olho no molho de tomate.

Fazendo os cookies.

Eu e Tatati praticando a intemperança.

Massa secando. Sim, a massa foi caseira. Sem mais.

Massa sendo cortada.

Fettuccine ao molho pesto.

Fettuccine ao molho de tomates frescos com manjericão.

Depois do jantar, rolou uma partida de Desafino. É mais ou menos tipo Imagem e Ação só que com músicas populares. A diferença é que, além da mímica, você também pode cantarolar a música sem a letra para o seu time adivinhar. Devo confessar que me descontrolei um pouco, porque sou muito competitivo. A disputa foi acirrada.

Abaixo, os vencedores. Você não vai me ver na foto.

Abaixo, os não-vencedores (‘perdedores’ é uma palavra muito cruel).

Lá pelas 4 da manhã, depois da partida de Desafino, nós resolvemos cantar. A cantoria até foi filmada, mas como preso pela integridade musical não só minha, mas como de meus amigos, é melhor que este vídeo fique trancado à sete chaves.

O plano depois disso foi assistir ao seguinte clássico:

Foi só o Rolf ligar o DVD que todos prontamente caíram no sono.

A partir de umas 9, o pessoal aos poucos foi acordando.

Notem que o Pedro ainda está dormindo nessa foto. Comportamento completamente normal.

Depois que todos haviam despertado, o Rolf começou a preparar o nosso brunch.

Tivemos hash browns…

…tivemos waffles…

…e tivemos brownies. Oh, céus.

E foi isso…não há forma melhor de começar o feriado do que varando a noite comendo, dando risada, ficando frustrado por perder o jogo de Desafino, comendo mais um pouco e jogando buraco.

Que venha a próxima edição!